15/04/2016

Há alguém desse lado?

Hoje decidi passear por este blog, por atualizar há cerca de três anos, e fiquei cheia de vontade de regressar...

07/11/2013

Sobre Braga

Vamos passar um fim de semana a Braga!  Estamos entusiasmadíssimos, há anos que não saímos de casa... Agora surge a questão: o que visitar por lá, para além do óbvio, o Bom Jesus? Alguém sabe?

29/10/2013

Obrigada...

... pelo comentários ao post anterior.
Ainda não vos posso adiantar mais nada, está tudo na mesma. Sei que tenho feito os possíveis para resolver a situação da melhor maneira possível. Agora é esperar...e confiar que tudo corra pelo melhor.

Mas a verdade é que esta situação me tem deixado muito stressada, sem paciência e, mesmo que não queira, isso tem-se reflectido na minha relação com o M.Como distância é algo que não quero que exista entre mim e o meu filho, decidi passar mais tempo de qualidade com ele, a fazermos algo que dê prazer aos dois. Uma dessas coisas é pintar e um destes dias fizemos uma noitada entre aguarelas e pincéis que será, de certeza, para repetir.
O resultado foi este:


Bjs e muito obrigado pelo carinho :)

24/10/2013

Entre o certo e o incerto

Estou num momento de viragem da minha vida e não sei o que fazer a seguir.
Aceito o encerramento do meu local de trabalho, como estou a ser pressionada a fazer, sem receber indemnização, mas com a 'carta' que permitirá receber subsídio de desemprego; ou vou pela outra 'porta', aberta pelo meu patrão muito a custo: passar para outra empresa, a 30 km desta, onde sei que não me querem, onde sei que me vão fazer a vida negra de modo a que eu me despeça ao fim de pouco tempo (infelizmente, é a prática da casa)?
É a escolha entre uma situação de desemprego, sem grandes perspectivas de futuro (sejamos realistas, só com muita sorte conseguiria emprego na área e, fora dela, porque me aceitariam a mim, quando há tanta gente desempregada?) e uma situação de emprego, mas de grande pressão psicológica que vai afectar negativamente todos os outros campos da vida.
Imagino-me nas suas situações. Por um lado, agrada-me o facto de ficar em casa, ter tempo para as minhas coisas, aprender a costurar como deve ser, aprender japonês através dos inúmeros cursos que existem no youtube (a minha nova mania!), ter tempo e mais paciência para o meu filho...
Mas uma coisa é viver assim durante algum tempo, aproveitar para descansar e carregar baterias, outra é não haver grandes perspectivas de futuro.... já nem falo do estigma do desemprego, mas o subsídio durará pouco tempo e custa-me imaginar-nos a viver apenas do salário do marido, cada vez mais reduzido...
A segunda hipótese até nem seria de todo má, gosto de trabalhar, mas como sei que não me querem lá e sei que vão fazer tudo para que me despeça (e isto não é uma hipótese, é uma certeza, tendo em conta as circunstâncias e o histórico da empresa)... até poderei aguentar a pressão durante muito tempo, mas a que custo? E valerá a pena?
Mas tento emprego poderemos pensar em ter outro filho, algo com que sonhamos há algum tempo .... Mas, ao mesmo tempo, tendo esse filho, nas circunstâncias que me esperam, dificilmente terei tempo suficiente e de qualidade para estar com ele...


22/10/2013

Salvador Dali


Vi um post sobre este relógio no Facebook e fui 'cuscar' o preço, no ebay. Nem é caro, tendo em conta a originalidade e o tamanho. Gostei e sei exactamente onde ele ia ficar muito giro :)

15/10/2013

Tantos meses depois da última publicação...

... há ainda alguém que passe por aqui?

20/02/2013

Um dos vestidos mais interessantes

que vi nos últimos tempos.
Em breve com tutorial.
Espreitem aqui.

30/01/2013

Queria...

... ter perdido dois quilos em janeiro, mas acho que ganhei mais dois!

:(

25/01/2013

Cumplicidades

Ontem tivemos um final do dia muito, muito especial....
O marido trabalhou durante a noite e, quando isso acontece, o M. pede-me sempre para dormir comigo. Mas antes de irmos para a cama fizemos um pequeno concerto. Cantámos, tocámos guitarra (a fingir, claro!) e dançámos juntos, imaginando estar a actuar para uma grande plateia....que, na verdade era constituída apenas pela gata Amália.
Foi tão giro!
Felizmente não temos vizinhos próximos...